Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Governo de Minas acumula dívida de até R$ 1,5 bilhão com fornecedores

Em 2017, o governo de Fernando Pimentel acumula dívida de R$ 644,758 milhões com 5.802 fornecedores, referente a débitos de serviços realizados e não pagos pelo Estado. Esse valor representa uma média de R$ 111 mil por empresa. Neste ano, a dívida chega a R$ 908,548 milhões com 5.325 fornecedores, média de R$ 170 mil por fornecedor, somando quase R$ 1,5 bilhão em calote com fornecedores. São credores de várias áreas, incluindo uma tradicional montadora de veículos que forneceu linhas de veículos para atender secretarias e entidades governamentais pelo interior e tem a receber R$ 12,5 milhões.

Empresas farmacêuticas não identificadas pela reportagem do jornal O Tempo também fecharam 2016 a ver navios em relação ao pagamento. Uma delas aguarda o pagamento de R$ 31,8 milhões. Outras duas de R$ 28 milhões e de R$ 26 milhões. As estatais Cemig, Copasa e Prodemge também são vítimas do calote do governo Pimentel.
Empresários que não quiseram se identificar confirmaram as dificuldades que enfrentam para receber o dinheiro devido pelo governo Pimentel. O diretor de uma construtora disse que a situação piorou nos últimos meses e que a média de atraso era de 60 dias e agora dobrou, chegando a 120 dias do serviço realizado.

 

Publicado em 31 de Agosto de 2017