Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

O que o PT está fazendo no governo de Minas

Comunicação

  1. Rede Minas contrata empresa que entrou na mira da Lava Jato
  2. Uso político da Rede Minas e Inconfidência na mira do Ministério Público
  3. Justiça proíbe propaganda eleitoreira do governo Pimentel
  4. Pimentel usou máquina administrativa para quitar dívida de campanha
  5. Com greve de servidores, jornal Minas Gerais deixa de ser impresso
  6. Servidores da Imprensa Oficial anunciam greve
  7. PM prende jornalista em cobertura de reintegração de posse
  8. Agência citada em delações premiadas da Operação Acrônimo pode abocanhar contas de publicidade do governo Pimentel
  9. Gestão Pimentel faz uso político da rádio Inconfidência
  10. TV Minas faz propaganda e cobertura “ao vivo” de manifestações contra impeachment de Dilma
  11. Governo petista esconde jetons de secretários no Portal da Transparência
  12. Enquanto servidores sofrem com atraso de salário, Pimentel gasta R$ 100 milhões em publicidade
  13. Em meio a denúncias de irregularidades na Inconfidência, presidente da rádio é exonerado
  14. Convocada para dar esclarecimento sobre “rodízio velado”, Copasa tira do ar site sobre nível de águas
  15. Governo do PT deleta da Agência Minas informações sobre as administrações anteriores
  16. Censura: Pimentel pede ao STJ quebra de sigilo telefônico de jornalista
  17. Justiça determina suspensão imediata de propagandas enganosas do governo de Fernando Pimentel do PT
  18. Prioridade para publicidade
  19. Hoje em Dia denuncia intimidação e censura por parte da Seds
  20. Pimentel terá que explicar uso do dinheiro público para autopromoção e propaganda institucional irregular
  21. Governo do PT abre orçamento 2015 com mais que o dobro do valor destinado à publicidade, na comparação com 2014
  22. Portal de investimentos em comunicação desatualizado
  23. Uso do dinheiro público em flagrante desvio de finalidade
  24. Fenaj repudia cerceamento a jornalista

1Rede Minas contrata empresa que entrou na mira da Lava Jato

A Rede Minas contratou por R$ 201 mil uma empresa de informática envolvida na rede de investigações da operação Lava-Jato – a CTIS Tecnologia. A empresa prestará serviços de impressão, com assistência técnica e manutenção corretiva, reposição de peças e insumos, por 36 meses. De acordo com nota publicada pelo A.Parte/O Tempo (26/11), a CTIS passou a ser investigada pelo pagamento de propinas em cinco contratos do Banco do Brasil de fornecimento de softwares e serviços de informática que juntos somam mais de R$ 150 milhões.

De acordo com documentos obtidos pela Polícia Federal, uma empresa de fachada, acusada de corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobras, recebeu “comissões” de até 10% sobre os negócios do BB fechados entre 2008 e 2010. Também em 2015, a CTIS passou a ser investigada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) por suposta formação de cartel em licitações públicas e privadas para contratar serviços de tecnologia da informação pelo Ministério da Educação.

Publicado em 27 de novembro de 2017

2Uso político da Rede Minas e Inconfidência na mira do Ministério Público

A utilização com fins político-partidário que o governo de Fernando Pimentel deu à Rede Minas e Rádio Inconfidência à época do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff está na mira do Ministério Público Estadual (MPE). Após denúncia feita por parlamentares, em abril do ano passado, o órgão abriu inquérito para investigar a cobertura feita pelas emissoras estatais de evento na Praça da Estação, no dia 31 de março de 2016, quando políticos, artistas e cantores se revezavam no palco com gritos de guerra contra o impeachment. Na ocasião, a rádio e a TV utilizaram dinheiro público para transmitirem ao vivo toda a programação do ato.

A representação feita ao MPE foi assinada pelos deputados João Leite, Gustavo Valadares e Sargento Rodrigues.
Além de denunciarem o aparato montado para a cobertura e o uso deliberado das emissoras para difundir ações de interesse do Partido dos Trabalhadores, os parlamentares pediram que seja investigada a conduta de improbidade administrativa dos responsáveis pelas emissoras.

3Justiça proíbe propaganda eleitoreira do governo Pimentel

O juiz Mauro Pena Rocha, da 4ª Vara de Fazenda Pública Estadual, concedeu liminar favorável à ação proposta pelo deputado Gustavo Valadares, líder na Minoria, proibindo a veiculação de propaganda institucional do governo de Fernando Pimentel. A propaganda era utilizada indevidamente para atacar a administração anterior e elogiar a atual. Para o parlamentar, Pimentel e sua equipe usam reiteradamente o dinheiro público em benefício próprio por meio de ataques mentirosos às gestões passadas.

De acordo com a liminar, o advogado-Geral do Estado, Onofre Alves Batista Júnior, o secretário de Estado de Governo, Odair José Cunha, e o subsecretário de Comunicação Social, Marcus Gimenez, têm 48 horas para cumprir a decisão, sob pena de responsabilização criminal e improbidade administrativa.

A propaganda sobre fóruns regionais, divulgadas nos jornais O Tempo e Estado de Minas nos dias 6,7 e 13 de maio de 2017, de forma irregular, contraria a legislação por não ter caráter informativo, educativo ou de orientação social. A liminar destaca que o objetivo da peça publicitária era a promoção pessoal de Pimentel, rompendo com o princípio da impessoalidade.

Essa é a terceira vez que a Justiça determina a suspensão de publicidade do governo petista por desvio de finalidade. Em setembro de 2015, em ação movida pelo PSDB mineiro, a Justiça determinou a paralisação imediata de propagandas usadas, indevidamente, para atacar a administração anterior por motivações políticas. Em março de 2016, em ação movida pelos deputados do Bloco Verdade e Coerência, a Justiça constatou que o governo mentia sobre o pagamento do piso nacional para os professores em Minas.

Publicado em 17 de maio de 2017

4Pimentel usou máquina administrativa para quitar dívida de campanha

O empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, amigo de Fernando Pimentel e suspeito de ser o operador dos esquemas de propina investigados pela Operação Acrônimo, afirmou em sua delação premiada que dívidas de campanha do petista, contraídas com a Vox Populi e com a empresa Mantiqueira, foram pagas por meio do contrato de uma agência de publicidade com o governo de Minas, em 2015.

De acordo com matéria do portal Uol, na delação, Bené revela que houve um “compartilhamento da conta publicitária do governo” já que uma agência recebeu por serviços não realizados e quitou o débito da campanha.

Publicado em 29 de novembro de 2016

5Com greve de servidores, jornal Minas Gerais deixa de ser impresso

Contrários à proposta do governador petista Fernando Pimentel de extinguir a Imprensa Oficial, servidores do órgão entraram em greve nesta quinta-feira (7/7). Com a paralisação, a publicação do jornal Minas Gerais, Diário Oficial do Estado, está suspensa. Sem o jornal, ficam inviabilizadas as deliberações do governo petista que, legalmente, só passam a valer após divulgação impressa no Diário Oficial.

A extinção da Imprensa Oficial está prevista no Projeto de Lei 3511/16, parte da proposta de reforma administrativa que o governo quer implantar no estado. Desde que começou a tramitar na Assembleia Legislativa de Minas, o PL tem sido alvo de críticas dos servidores e parlamentares da oposição. A medida quer colocar fim em um órgão histórico de Minas sem trazer qualquer benefício prático ao estado. Com a greve, os servidores buscam evidenciar a importância histórica, cultural e estrutural do órgão.

Publicado em 8 de julho de 2016

6Servidores da Imprensa Oficial anunciam greve

Contrários à proposta do governador Fernando Pimentel de extinguir à Imprensa Oficial, servidores do órgão darão início a uma greve por tempo indeterminado a partir de quinta-feira (07/07). O fim da Imprensa Oficial está previsto no Projeto de Lei 3511/16 e faz parte da proposta de reforma administrativa que o governo quer implantar no estado. Desde que começou a tramitar na Assembleia Legislativa de Minas, o PL tem sido alvo de críticas dos servidores e parlamentares da oposição.

O IOF foi criada em 1891 e, de acordo com o diretor-presidente da Imprensa Oficial, Eugênio Ferraz, são 450 servidores ligados ao órgão. Entre as produções desenvolvidas pela IOF, constam a emissão de publicações de diversas secretarias do estado e de serviços essenciais, como as contas de água e energia elétrica. Com a greve dos servidores, a produção do Jornal Minas Gerais ficará paralisada, inviabilizando a publicação das deliberações do governo do estado que, legalmente, só passam a valer após divulgação impressa no Diário Oficial do Estado.

Publicado em 5 de julho de 2016

7PM prende jornalista em cobertura de reintegração de posse

A Polícia Militar de Belo Horizonte prendeu, nesta segunda-feira (20/6), a repórter da Rádio Inconfidência Verônica Pimenta enquanto ela fazia a cobertura de uma operação de reintegração de posse na região de Venda Nova, na capital. A repórter foi detida por desacato à ordem de autoridade e encaminhada para a 1ª Delegacia de Polícia de Venda Nova.

Em seu site, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais informou que está tomando todas as providências para que a ação arbitrária e ilegal da PM contra a jornalista, na gestão do governador petista Fernando Pimentel, seja punida. O presidente do Sindicato, Kerison Lopes, “não se trata de um ato isolado, mas de mais uma das inúmeras atitudes arbitrárias cometidas pela PM no último ano”.

O frei Gilvander Moreira, membro da Comissão Pastoral da Terra, avaliou como um ato de censura a prisão de Verônica Pimental.

Publicado em 21 de junho de 2016

8Agência citada em delações premiadas da Operação Acrônimo pode abocanhar contas de publicidade do governo Pimentel

Citada em delações da Operação Acrônimo como suspeita de intermediar esquema de corrupção para favorecer Fernando Pimentel na época em que era ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a agência baiana Propeg Comunicação está na fase final para abocanhar três contratos de publicidade do governo de Minas. Juntos, os três editais somam R$ 65 milhões por um ano.

De acordo com matéria publicada pelo portal BHAZ, a Propeg disputa pelo Consórcio Oriente Propeg três dos sete lotes que totalizam R$ 100 milhões em publicidade do governo petista. Os vencedores devem ser anunciados ainda no primeiro semestre.

A Propeg já foi investigada em 2008 por uma Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) na Assembleia Legislativa da Bahia, estado em que está sediada, para apurar supostas irregularidades na falência de uma empresa alimentícia. E, desde 2005, a agência recebeu R$ 1,1 bilhão em contratos de publicidade com o governo federal petista.

Na operação Acrônimo, a agência foi citada, segundo matérias divulgadas pela imprensa, na delação premiada do empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, o Bené, amigo de Pimentel e considerado o operador do esquema. Também foi citada pela proprietária da Pepper, Danielle Fonteles, que afirmou à Polícia Federal que a Propeg seria responsável por passar dinheiro “por fora”, por meio de contratos fictícios. Entre 2012 e 2013, quando Pimentel era ministro, a Propeg recebeu R$ 223 mil do BNDES.

Publicado em 1° de jnho de 2016

9Gestão Pimentel faz uso político da rádio Inconfidência

Em entrevista ao jornal Hoje em Dia, o presidente da rádio Inconfidência, Flávio Henrique, afirmou que tem “encorajado” a equipe da emissora estatal para uma cobertura jornalística com posicionamento político contra o processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff, em curso.

Na contramão da imparcialidade jornalística, Flávio Henrique se declara “contra o golpe” e diz que estimula opiniões “em favor da democracia” nas matérias jornalísticas. A entrevista veiculada mostra de forma clara o uso político da rádio, empresa subordinada ao Estado, para uma agenda que favorece os interesses do grupo político do governador Fernando Pimentel.

Deputados de oposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais já haviam denunciado ao Ministério Público Estadual (MPE) o uso político-partidário da TV Minas e da rádio Inconfidência pelo governo Pimentel. Em 31 de março, as emissoras estatais foram colocadas à disposição das manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, amiga e correligionária do governador.

Publicado em 9 de maio de 2016

10TV Minas faz propaganda e cobertura “ao vivo” de manifestações contra impeachment de Dilma

O governo petista de Fernando Pimentel colocou a Rede Minas, TV oficial do Estado, a serviço das manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, também do PT. O site da emissora transmitiu “ao vivo” toda a programação do chamado “Canto da Democracia”, na Praça da Estação, em Belo Horizonte, no dia 31 de março de 2015. E um banner convidava os internautas para acompanhar a transmissão. Além disso, fez ampla cobertura das manifestações em diversas capitais por meio de link ao vivo gerado pela TV Brasil, canal oficial do governo federal. A Rádio Inconfidência também transmitiu o evento ao vivo.

Publicado em 4 de abril de 2016

11Governo petista esconde jetons de secretários no Portal da Transparência

Depois de deixar o Portal da Transparência desatualizado em dezembro de 2015 e janeiro de 2016, sem os dados sobre os salários dos servidores, em fevereiro o governo Fernando Pimentel divulgou as informações, sem os valores de jetons pagos no período para os secretários de Estado que ocupam conselhos das estatais. Para os deputados do bloco Verdade e Coerência, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o acesso aos valores dos jetons ficou mais difícil para esconder os supersalários do alto escalão, denunciados pela oposição e turbinados com os jetons reajustados no ano passado pelo PT.

Somente o secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, recebeu apenas em dezembro cerca de R$ 90 mil, sendo R$ 42 mil equivalentes a jetons. Ele é justamente o responsável por conter o déficit provocado pelo PT nas contas públicas do Estado e gerenciar a folha de pagamento dos servidores, que vem sendo quitada com escalonamento e em até três vezes e não mais no quinto dia útil como ocorria até 2014. O valor recebido pelo secretário Helvécio em dezembro corresponde a quatro anos do salário de um professor ou anos do salário de um policial.

A consulta aos valores dos jetons era feita de forma rápida e simples pelo nome do servidor. Com a mudança, para ter acesso aos dados é necessário baixar uma planilha com 373.240 linhas e procurar o nome de cada secretário na lista.

Publicado em 2 de fevereiro de 2015

12Enquanto servidores sofrem com atraso de salário, Pimentel gasta R$ 100 milhões em publicidade

Poucos dias antes de anunciar que os salários dos servidores serão depositados apenas no dia 13 de janeiro, cinco dias após a data normal, quinto dia útil, o governo de Fernando Pimentel lançou edital para gastar nada menos do que R$ 100 milhões com publicidade em 2016. O comunicado do certame foi publicado no dia 23 de dezembro no jornal Minas Gerais.

O lançamento do edital com esse valor vultoso no mesmo momento em que atrasa salários dos servidores recebeu críticas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Para os deputados do bloco de oposição Verdade e Coerência “o que causa estranheza é que em um ano de agravamento da crise financeira, quando o Executivo alega não ter dinheiro e opta por penalizar o servidor com atraso de salário, o governador mantenha no Orçamento de 2016 os gastos para suas peças publicitárias na casa dos R$ 96 milhões e, no apagar das luzes de 2015, abra licitação para dar início a esses gastos, com valor ainda maior que o orçado”.

Além de dobrar os gastos previstos em orçamento para publicidade para cerca de R$ 40 milhões (de 2009 a 2014 para R$ 96,3 milhões), desde que assumiu o governo, o PT tem criado novas despesas, inchando a máquina pública, a exemplo da criação de três novas secretarias e cargos para o alto escalão.

Acesse o edital e o comunicado de licitaçao publicado na página 56 do Diário Oficial do dia 23/12:

Clique para ver o Comunicado da licitação

Clique para ver o Edital

Publicado em 8 de janeiro de 2015

13Em meio a denúncias de irregularidades na Inconfidência, presidente da rádio é exonerado

A exoneração de Tancredo Antônio Naves do cargo de presidente da Rádio Inconfidência foi publicada nesta quinta-feira (26/11) no jornal “Minas Gerais”, Diário Oficial do Estado. Segundo notícias veiculadas na imprensa, a troca no comando ocorre três meses após divulgação de denúncias de casos de tráfico de influência, compras de passagens aéreas sem licitação, assédio moral e contratações ilegais na rádio. Quem assume é Flávio Henrique Alves de Oliveira.

Publicado em 27 de novembro de 2015

14Convocada para dar esclarecimento sobre “rodízio velado”, Copasa tira do ar site sobre nível de águas

O site da Copasa criado pelo governo Fernando Pimentel para mostrar os índices de gasto de água e o nível dos reservatórios durou poucos meses. Em outubro, já foi retirado do ar. Segundo nota na coluna A.Parte, do jornal O Tempo, o fim do site coincide com a convocação da presidente da Copasa, Sinara Meireles Chena, pela comissão Extraordinária das Águas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

A presidente da Copasa foi convocada para prestar esclarecimentos sobre um “rodízio velado” de abastecimento de água na Região Metropolitana de Belo Horizonte e para explicar como a estatal está enfrentando a crise hídrica que afeta o abastecimento de água em mais de 100 municípios mineiros

Publicado em 28 de outubro de 2015

15Governo do PT deleta da Agência Minas informações sobre as administrações anteriores

O governo de Fernando Pimentel apagou da Agência Minas, portal de notícias do Executivo mineiro, toda e qualquer informação anterior à posse do governador petista. Nem mesmo por meio da ferramenta de busca é possível acessar gráficos, informações de utilidade pública, registros históricos e notícias sobre as administrações anteriores.

Para o presidente do PSDB, Domingos Sávio, o governo petista quer enterrar o legado dos governos anteriores.

Publicado em 22 de outubro de 2015

16Censura: Pimentel pede ao STJ quebra de sigilo telefônico de jornalista

O governador mineiro Fernando Pimentel propôs ao STJ, o Superior Tribunal de Justiça, que quebre o sigilo telefônico de um jornalista que publicou reportagem com informações sigilosas da investigação que corre contra ele na corte.

Na petição enviada ao ministro Herman Benjamin, relator do caso, os advogados do petista dizem que a partir dos extratos telefônicos do repórter será possível descobrir quais autoridades estão vazando informações sigilosas do processo.

Para reforçar o pleito, a defesa de Pimentel lembra uma decisão de Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, que referendou o veredicto de um juiz paulista ordenando a quebra do sigilo de um repórter do Diário da Região, de São José do Rio Preto.

Publicado em 21 de outubro de 2015

17Justiça determina suspensão imediata de propagandas enganosas do governo de Fernando Pimentel do PT

O juiz titular da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Michel Curi e Silva, concedeu no dia 23 de setembro de 2015 liminar favorável a uma Ação Popular movida pelo presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio, na qual determinou a suspensão imediata de propagandas institucionais do Governo de Minas Gerais. Na decisão, o magistrado considera que o Governo de Fernando Pimentel, do PT, tem utilizado propagandas com fins meramente políticos, sem observar o interesse público.

De acordo com o juiz Michel Curi e Silva, a postura do governo petista contraria o preceito do §1º do artigo 37 da Constituição da República Federativa do Brasil, cujo teor é o seguinte: “A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.

Além de determinar a imediata suspensão das propagandas, o juiz obrigou o governo do Estado a publicar cópia da liminar em todos os veículos nos quais elas foram divulgadas.
Segundo o juiz, a Ação Popular movida pelo presidente do PSDB-MG apresenta “provas inequívocas” do desvio de finalidade das propagandas do Governo de Minas.

Publicado em 23 de setembro de 2015

18Prioridade para publicidade

Apenas três meses depois de dizer que vai revitalizar os 53 Distritos Industriais de Minas e antes mesmo de terminar sequer o levantamento cadastral, previsto apenas para novembro, o governo do PT em Minas já gastou quase meio milhão – foram R$ 414.282,93 – para divulgar as ações prometidas.

O valor equivale a 18,1% do custo do projeto, que é de aproximadamente R$ 2,3 milhões, segundo dados do próprio governo em resposta a questionamento que o deputado João Leite (PSDB) apresentou por meio do Portal da Transparência, com base na Lei de Acesso à Informação. O pedido de informações foi feito no dia 21 de julho e a resposta chegou no dia 4 de agosto último.

Publicado em 17 de agosto de 2015

19Hoje em Dia denuncia intimidação e censura por parte da Seds

O jornal Hoje em Dia denunciou no dia 25 de julho de 2015 mais uma tentativa de cerceamento do trabalho jornalístico por parte do governo de Minas. Desta vez, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) extrapolou os limites do bom senso e do respeito à liberdade de imprensa.

De acordo com o editorial, o jornal “foi vítima de uma mal articulada tentativa de intimidação e censura” ao expor, para toda a mídia nacional e em suas redes sociais, uma demanda específica e exclusiva do Hoje em Dia sobre temas relativos à segurança e eventuais problemas no relacionamento entre as políticas Civil e Militar.

Em ofícios enviados à Associação Nacional de Jornais e ao Sindicatos do Jornalistas Profissionais de Minas, o jornal relatou o ocorrido e cobrou um posicionamento. O sindicato dos jornalistas de Minas em divulgou uma nota repudiando a postura da SEDS.

Publicado em 27 de julho de 2015

20Pimentel terá que explicar uso do dinheiro público para autopromoção e propaganda institucional irregular

O PSDB protocolou no dia 23 de junho de 2015, na Procuradoria Geral da Justiça de Minas Gerais, duas representações para que sejam investigadas improbidades administrativas cometidas pela gestão do PT em Minas.

A ação aponta o desvio de finalidade na veiculação de propaganda institucional atendendo a interesses privados. Pela denúncia, a propaganda e as redes sociais institucionais do Governo de Minas, no lugar de informar e dar publicidade aos atos públicos, nos termos do que dispõe o artigo 37 da Constituição Federal, têm sido utilizadas para uso de informações sabidamente falsas e para autopromoção do governador. Como exemplo, a representação anexa posts do Governo do Estado em que, no lugar de “Governo de Minas”, utiliza-se o termo “Governo Fernando Pimentel”, ao mesmo tempo em que redireciona para a página pessoal do chefe do executivo.

Milhões de reais dos cofres públicos foram gastos até agora para tentar confundir a população e esconder a realidade dos fatos: o Governo do PT recebeu da última gestão as contas em dia, com obras em andamento e superávit orçamentário, conforme comprova recente balanço do Banco Central. O suposto déficit tem sido desmentido pela própria imprensa, por órgãos de controle e também por organismos nacionais e internacionais.

Acesse as representações por meio dos links abaixo:

http://psdb-mg.org.br/alias2011/wp-content/uploads/2015/06/final_representa%C3%A7%C3%A3o-tv-veicular-mentira-22-06-2015.pdf

http://psdb-mg.org.br/alias2011/wp-content/uploads/2015/06/FINAL_representa%C3%A7%C3%A3o-tv-desvio-finalidade-22-06-2015.pdf

Publicado em 26 de junho de 2015

21Governo do PT abre orçamento 2015 com mais que o dobro do valor destinado à publicidade, na comparação com 2014

Imagem-1

22Portal de investimentos em comunicação desatualizado

Em dezembro de 2014, o Governo de Minas lançou o portal, disponível no site da Secretaria de Estado de Governo (Segov/MG) http://governo.mg.gov.br/governo/subsecom-transparencia, com informações que dão transparência total aos investimentos feitos pelo Poder Executivo estadual na área de comunicação desde 2003. Por meio desse canal, qualquer cidadão podia ter acesso detalhado aos investimentos publicitários feitos pela administração direta em todos os veículos de comunicação do Estado.

Desde janeiro de 2015, a atualização foi suspensa, interrompendo o esforço de transparência total que foi feito.

Publicado em 26 de maio de 2015

23Uso do dinheiro público em flagrante desvio de finalidade

Em maio de 2015, o Governo de Minas produziu e divulgou filmes publicitários, veiculados em emissoras do Estado, que demonstram claramente o desvio de finalidade de propaganda institucional, em total desrespeito aos princípios da impessoalidade, moralidade administrativa e legalidade. O conteúdo dos filmes tem claro objetivo partidário e está a serviço do PT e não do Governo de Minas.
Foi apresentada ação ao Ministério Público Estadual (MPE) denunciando o uso político dos recursos públicos.

Publicado em 26 de maio de 2015

24Fenaj repudia cerceamento a jornalista

A imprensa mineira denuncia que o Governo do PT em Minas não responde a demandas dos jornalistas. No dia 20 de março, a Federação Nacional dos Jornalistas lançou uma nota de repúdio à agressão de integrantes do governo a repórteres em Divinópolis, no Centro-Oeste do Estado. http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=4285
Imagem-2

Um dia antes (19/5), editorial do Jornal Hoje em Dia http://www.hojeemdia.com.br/m-blogs/a-import%C3%A2ncia-da-cultura-1.319163 denunciou o cerceamento ao trabalho da imprensa, uma vez que o governo trata assuntos importantes com evasivas e notas lacônicas, isso quando a imprensa é atendida. Ao que tudo indica para o governo Fernando Pimentel transparência é apenas um slogan.
Imagem-3

O jornal O Tempo também já denunciou a falta de transparência e a recusa do Governo de Minas em responder demandas dos jornalistas.

http://www.otempo.com.br/opera%C3%A7%C3%A3o-com-o-bb-%C3%A9-omitida-1.1036847.
Imagem-4

Publicado em 26 de maio de 2015