Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

O que o PT está fazendo no governo de Minas

Cultura

  1. Com orçamento reduzido, projetos do Circuito Cultural da Praça da Liberdade estão morosos
  2. Descaso e sucateamento do Circuito Cultural marcam gestão petista
  3. Abandonado por Pimentel, Ballet Jovem troca de nome e retoma apresentações de forma independente
  4. Programa Música Minas interrompido pelo PT
  5. Sob pressão popular, Governo do PT promete reabrir Palácio da Liberdade
  6. Sucateamento do Circuito Cultural Praça da Liberdade
  7. Fim do Ballet Jovem do Palácio das Artes

1Com orçamento reduzido, projetos do Circuito Cultural da Praça da Liberdade estão morosos

Desde que o governador Fernando Pimentel assumiu o Estado, os investimentos no Circuito Cultural Praça da Liberdade caíram, a implantação de novos projetos está morosa e prédios – que deveriam estar abertos – estão parados. Um dos exemplos é o Palácio da Liberdade. Apesar da promessa de reativar o turismo ao Palácio, cortado pela administração do PT, o local continua fechado para visitação.

A transformação do Prédio Verde (antiga secretaria de Viação e Obras Públicas), que abriga a biblioteca do Iepha, em Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais também não se concretizou e dependeria de um investimento de R$ 20 milhões na reforma. Já o Palacete Dantas e seu anexo, o Solar Norbana, que abrigariam o Centro Cultural Oi Futuro conforme anunciado em 2014, ainda estão com seu destino incerto. Sem dar explicações, o governo Pimentel abandonou a proposta e anunciou que abrigariam o Museu da Educação, mas o projeto segue parado e os prédios estão fechados por falta de recursos.

Reportagem do jornal O Tempo mostra que sequer há mapas do Circuito no Centro de Informação ao Visitante, no prédio conhecido como Rainha da Sucata. E segundo o Portal da Transparência, em 2017 o orçamento do Iepha de pouco mais de R$ 7,5 milhões teve um corte superior a 50% em relação a 2016 (R$ 15,5 milhões).

O governo chegou a incluir o Palácio da Liberdade na lista de imóveis que serão vendidos. O imóvel fazia parte da lista original enviada à Assembleia Legislativa junto com o PL 4135, que prevê a criação dos polêmicos fundos imobiliários. Após denúncias na imprensa e por parte da oposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, esse e centenas de outros imóveis ocupados e que seriam vendidos foram excluídos da lista.

Publicado em 3 de julho de 2017

2Descaso e sucateamento do Circuito Cultural marcam gestão petista

Reportagem do jornal “Estado de Minas” mostra o descaso do governo petista com o Circuito Cultural. “Dois anos depois, o Palácio da Liberdade está fechado à visitação pública. O Palacete Dantas e o Solar Narbona permanecem desativados. Sem-teto se instalaram na entrada da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, dificultando o acesso de frequentadores – sobretudo crianças. As obras no antigo prédio do Ipsemg, futura Escola de Design da Uemg, caminham lentamente”, cita a matéria. O governo petista desistiu ainda de implantar o Centro de Ensaio Aberto (Cena) e encerrou a exposição interativa “Palácio da Liberdade: Memórias e Histórias”.

Publicado em 7 de fevereiro de 2017

3Abandonado por Pimentel, Ballet Jovem troca de nome e retoma apresentações de forma independente

Um ano e meio depois de ser encerrado por iniciativa do governo de Fernando Pimentel, o Ballet Jovem do Palácio das Artes retoma suas apresentações de forma independente, sem qualquer apoio do Estado e com novo nome – Ballet Jovem de Minas Gerais.

O grupo foi criado em 2007 para valorizar o protagonismo juvenil no cenário cultural mineiro e brasileiro e tinha um custo mensal de R$ 20 mil. Até 2014, mais de 150 mil espectadores assistiram aos 123 espetáculos realizados. Em março do ano passado, Pimentel colocou fim à iniciativa.

Publicado em 16 de setembro de 2016

4Programa Música Minas interrompido pelo PT

Passados quase oito meses e o governo Fernando Pimentel não lançou até hoje os editais do Programa Música Minas e interrompeu o diálogo com o Fórum da Música de Minas Gerais (FMMG), composto por oito entidades do setor musical, para construir as diretrizes da edição 2015 do programa. O rompimento, denunciado pelo Fórum, interrompe a parceria feita nos últimos anos para desenvolvimento de um modelo inovador com a participação direta da sociedade civil.

O Música Minas foi criado em 2009. Desde então, os editais para fomentar a cadeia produtiva da música mineira eram construídos coletivamente, com a participação de produtores e artistas. Em nota à classe musical, o Fórum relata a inércia do governo, o atraso em lançar o edital e reivindica “a participação da sociedade civil no Programa Música Minas enquanto uma política de estado construída e cogerida pela sociedade, desde seu surgimento”, conforme trecho de carta divulgada pela entidade.

O programa é voltado para a intensificação da circulação, criação de rotas, formação de público e construção de uma rede de cooperação pelo interior do Estado. Músicos mineiros selecionados por meio de edital eram beneficiados anualmente.

O Fórum da Música é um grupo de entidades organizadas e representativas do setor musical que reúne a Associação dos Amigos do Museu Clube da Esquina (AAMUCE), Fora do Eixo Minas (FEM), Grupo Cultural NUC, Rede Catitu, Sociedade Independente da Música (SIM), Instituto Sociocultural do Jequitinhonha (Valemais), Associação de Músicos, Artistas e Esportistas (Amaes) e Associação Mucury Cultural.

Nota do Fórum da Música de Minas Gerais (FMMG)

Publicado em 25 de agosto de 2015

5Sob pressão popular, Governo do PT promete reabrir Palácio da Liberdade

Em audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a partir de requerimento dos deputados de oposição Verdade e Coerência, o governo do PT prometeu reabrir o Palácio da Liberdade para visitação. Desde o dia 28 de abril de 2015, em uma das diversas tentativas de desmantelar o Circuito Cultural Praça da Liberdade, implantado a partir de 2010, o governo Fernando Pimentel proibiu que estudantes e a população em geral visitem o local. Nem a imprensa está tendo acesso ao Palácio.

O governo do PT alega que está realizando obras de melhorias, mas não mostra quais são elas. Até o final de 2014, o espaço atraía visitantes que se encantavam com o local, tanto por sua estrutura como por sua conservação.

Publicado em 18 de junho de 2015

6Sucateamento do Circuito Cultural Praça da Liberdade

O governo Fernando Pimentel vetou a implantação no Prédio Verde do Centro de Ensaios Abertos (CENA), espaço dedicado à realização de ensaios de grupos e artistas nos campos do teatro, dança, música, artes plásticas e multimídia.
http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/05/18/interna_gerais,648579/artistas-lamentam-cancelamento-da-implantacao-do-centro-de-ensaio-aber.shtml Antiga reivindicação da classe artística, o projeto CENA estava pronto, desenvolvido pela equipe técnica do grupo Corpo, em fase de início de licitação.

Outra iniciativa de sucesso, a visitação ao Palácio da Liberdade, foi desmontada. A partir de 28 de abril de 2015, o governo do PT proibiu que estudantes e a população em geral visitem o local. Além disso, foi encerrada a obra Memória e História, uma exposição interativa que contava de forma inovadora a história dos governantes do Estado.

O Centro Cultura Oi Futuro também não vai mais integrar o Circuito Cultural Praça da Liberdade, como já noticiado pela imprensa http://www.hojeemdia.com.br/noticias/politica/centro-oi-futuro-fica-fora-do-circuito-cultural-praca-da-liberdade-1.319085. O projeto, que previa um jardim sensorial, instalações multimídias, galerias de arte, além do Museu de Telecomunicações e de um teatro, seria instalado no Palacete Dantas e do Solar Narbona.

A Oi informou à imprensa que a mudança de planos se deve à nova política cultural do atual governo de Estado e que não há nenhuma dificuldade financeira. A previsão era de que algumas atividades do Centro Cultural fossem abertas ao público ainda no segundo semestre de 2015, não fosse o desmonte provocado pelo PT em Minas.

No início do governo, o secretário de Cultura de Pimentel, Ângelo Oswaldo, criou polêmica em entrevista com críticas ao Circuito Cultural Praça da Liberdade, projeto implantado pela antiga gestão e reconhecido pela área cultural do Estado. A entrevista desagradou o meio cultural, o que não impediu o início do desmonte deste que já é considerado um dos maiores complexos culturais do país.

Onde estão as exposições e atividades na Praça? O Circuito aberto, Circuito Literário, os programas educativos, os mediadores bilíngues, o ‘Educativo’, projeto que levava os alunos de escolas públicas para visitar o Circuito Cultural e que de 2011 a 2014 beneficiou mais de 330 mil alunos? Tudo acabado. Tudo que até o final de 2014 funcionava com sucesso e aplausos.

Publicado em 26 de maio de 2015

7Fim do Ballet Jovem do Palácio das Artes

Em menos de três meses de governo, o governador Fernando Pimentel e o secretário de Cultura, Ângelo Oswaldo, acabaram com o Ballet Jovem do Palácio das Artes. Criado em 2007 para valorizar o protagonismo juvenil no cenário cultural mineiro e brasileiro, o Ballet tinha um custo mensal de R$20 mil. Mais de 150 mil espectadores assistiram aos 123 espetáculos realizados pelo grupo. Também foram suspensas as atividades do Grupo de Choro e a Big Band do Palácio das Artes.
Não há dúvidas que há custos na manutenção dos equipamentos públicos, mas eles precisam ser tratados como prioridade dentro de uma política cultural séria, como era até o ano passado.

Publicado em 26 de maio de 2015