Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Posts tagged divida

1Governo de Minas deve a PBH R$ 77,7 milhões em repasses para a saúde

A dívida do governo de Minas com a Prefeitura de Belo Horizonte está em R$ 77,7 milhões. O valor é referente aos repasses para a saúde que o Executivo estadual deveria ter feito e, até junho deste ano, não entraram nos cofres da PBH. O secretário municipal de Saúde, Jackson Pinto, já encaminhou à Câmara de Vereadores da capital mineira um ofício com a descrição da dívida.

A dívida foi divulgada pela colunista Amália Goulart no jornal Hoje em Dia (08/09/17). A nota revela ainda que os valores pendentes são referentes ao custeio de programas como o Pro-Hosp (R$14 milhões) e o ressarcimento por cirurgias eletivas.

Leia mais

Estado deve R$ 77 mIlhões à Prefeitura de BH para saúde/Metro MG

Publicado em 08 de Setembro de 2017

2Dívida com fornecedores atinge hospitais que sofrem com falta de medicamentos

O calote do governo com empresas farmacêuticas está atrasando a produção e distribuição de medicamentos. De acordo com o presidente da Associação dos Amigos e Usuários de Medicamentos Excepcionais, Antônio Alves, há casos de laboratórios que não estão entregando remédio porque não estão recebendo do governo de Fernando Pimentel. E hospitais estão incapacitados de realizar cirurgias por falta de verbas. “Tem gente morrendo por causa disso, pessoas que não estão recebendo tratamento necessário por falta de estrutura e medicamento”, afirmou ao jornal O Tempo.

Com o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia e o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia, a dívida do governo petista já soma R$ 12 milhões. A reportagem destacou ainda que, em maio, a subsecretária de Inovação e Logística da Secretaria de Estado de Saúde, Adriana Ramos, admitiu que a dívida com fornecedores chegaria a R$ 750 milhões e que, deste total, R$ 280 milhões se referem a medicamentos.

Publicado em 31 de Agosto de 2017

3Governo de Minas acumula dívida de até R$ 1,5 bilhão com fornecedores

Em 2017, o governo de Fernando Pimentel acumula dívida de R$ 644,758 milhões com 5.802 fornecedores, referente a débitos de serviços realizados e não pagos pelo Estado. Esse valor representa uma média de R$ 111 mil por empresa. Neste ano, a dívida chega a R$ 908,548 milhões com 5.325 fornecedores, média de R$ 170 mil por fornecedor, somando quase R$ 1,5 bilhão em calote com fornecedores. São credores de várias áreas, incluindo uma tradicional montadora de veículos que forneceu linhas de veículos para atender secretarias e entidades governamentais pelo interior e tem a receber R$ 12,5 milhões.

Empresas farmacêuticas não identificadas pela reportagem do jornal O Tempo também fecharam 2016 a ver navios em relação ao pagamento. Uma delas aguarda o pagamento de R$ 31,8 milhões. Outras duas de R$ 28 milhões e de R$ 26 milhões. As estatais Cemig, Copasa e Prodemge também são vítimas do calote do governo Pimentel.
Empresários que não quiseram se identificar confirmaram as dificuldades que enfrentam para receber o dinheiro devido pelo governo Pimentel. O diretor de uma construtora disse que a situação piorou nos últimos meses e que a média de atraso era de 60 dias e agora dobrou, chegando a 120 dias do serviço realizado.

 

Publicado em 31 de Agosto de 2017

4Pimentel usou máquina administrativa para quitar dívida de campanha

O empresário Benedito Rodrigues de Oliveira, amigo de Fernando Pimentel e suspeito de ser o operador dos esquemas de propina investigados pela Operação Acrônimo, afirmou em sua delação premiada que dívidas de campanha do petista, contraídas com a Vox Populi e com a empresa Mantiqueira, foram pagas por meio do contrato de uma agência de publicidade com o governo de Minas, em 2015.

De acordo com matéria do portal Uol, na delação, Bené revela que houve um “compartilhamento da conta publicitária do governo” já que uma agência recebeu por serviços não realizados e quitou o débito da campanha.

Publicado em 29 de novembro de 2016